Nigéria denuncia represália americana

O vice-chanceler da Nigéria, Dubem Onyia, acusou os Estados Unidos de suspenderem a assistência militar ao país africano depois de o governo local ter expressado sua oposição à guerra contra o Iraque. Diplomatas americanos em Abuja e Lagos não puderam ser localizados para comentar o assunto, já que as representações diplomáticas nestas duas cidades foram fechadas por razões de segurança.Em um comunicado, Onyia afirmou que a suspensão da ajuda militar dos EUA à Nigéria configurava uma "intimidação" por parte de autoridades de Washington, que expressaram "desapontamento com a posição da Nigéria, contrária à guerra no Iraque".O comunicado afirma que o embaixador americano na Nigéria, Howard Jeter, negou que a decisão de cortar a ajuda militar esteja ligada à posição nigeriana sobre a guerra. A nota cita Jeter afirmando a oficiais nigerianos que o corte foi feito para pressionar a Nigéria a investigar o envolvimento de suas tropas num massacre de centenas de civis ocorrido em outubro de 2001, no Estado de Benue.Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.