Nigéria denunciará Irã à ONU se notar violação de sanções ao país

Iranianos são suspeitos por arsenal clandestino de armas descoberto há duas semanas na Nigéria

JOE BROCK E FELIX ONUAH, REUTERS

12 de novembro de 2010 | 18h58

A Nigéria irá denunciar o Irã ao Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) se descobrir provas de que um arsenal clandestino apreendido há duas semanas violou as sanções internacionais a Teerã, disse nesta sexta-feira, 12, o chanceler nigeriano, Odein Ajumogobia.

Veja também:

especialEspecial: O programa nuclear do Irã

lista Veja as sanções já aplicadas contra o Irã

Ele se reuniu na noite de quinta com seu homólogo iraniano, Manouchehr Mottaki, para discutir a apreensão da carga de foguetes e explosivos, feita pelo serviço secreto nigeriano no porto de Lagos, no sudeste do país.

Um mistério cerca o destino dessas armas, mas as investigações se concentram em dois iranianos suspeitos de serem membros de alto escalão da Guarda Revolucionária do país, segundo fontes diplomáticas e de segurança.

"Um dos soluços na investigação em curso foi o fato de que um cidadão iraniano que de alguma forma foi cúmplice ... está na embaixada iraniana", disse Ajumogobia, acrescentando que posteriormente Mottaki aceitou que agentes nigerianos interrogassem o homem.

Mas a Nigéria não pôde interrogar o segundo iraniano envolvido, que também está na embaixada, porque esse possui imunidade diplomática, de acordo com Ajumogobia.

Fontes diplomáticas disseram que os dois iranianos provavelmente pertencem à Força Quds, uma unidade de elite da Guarda Revolucionária, especialista em operações fora do Irã.

O carregamento de armas aparentemente viola as sanções impostas pela ONU contra o programa nuclear iraniano, segundo diplomatas. Como membro da ONU, a Nigéria teria obrigação de relatar o assunto e apreender a carga.

"Se soubermos que essas armas vieram do Irã, então é uma violação às sanções, e a Nigéria seria obrigada a relatar ao comitê de sanções do Conselho de Segurança", disse um diplomata do Conselho à Reuters, acrescentando que potências ocidentais deixaram isso claro ao governo nigeriano.

Ajumogobia disse à Reuters que Mottaki prometeu cooperação do Irã com a investigação, e manifestou em nome de Teerã a crença de que as sanções não foram violadas.

"A resolução do Conselho de Segurança do qual a Nigéria participou tratava de materiais nucleares. Não há indicação de que isso esteja implicado aqui", afirmou Ajumogobia.

"Se a Nigéria descobrir na conclusão das investigações de que houve uma violação de quaisquer sanções, como membro do Conselho da ONU faremos o que for necessário", afirmou.

A Nigéria atualmente ocupa uma vaga temporária no Conselho. Uma resolução do Conselho em 2007 declara que o Irã não deve "fornecer, vender ou transferir direta ou indiretamente do seu território ou por seus cidadãos ... quaisquer armas ou material correlato."

 

Leia ainda:

linkDiálogo entre Irã e União Europeia pode ser retomado em 5 de novembro

linkVencedores do Nobel pedem desnuclearização

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.