Nigéria envia 250 médicos para lutar contra o ebola

A Nigéria enviou nesta quarta-feira à África Ocidental 250 médicos que foram preparados para ajudar no tratamento do vírus ebola. Eles chegam à região como cumprimento de parte da promessa da União Africana de disponibilizar 1 mil profissionais da saúde até o fim do ano. Porém, a chegada desses médicos aos países que mais precisam tem demorado. Até agora, 87 africanos foram enviados para Libéria, Guiné e Serra Leoa, os locais mais afetados pela epidemia.

Estadão Conteúdo

03 de dezembro de 2014 | 18h27

A doença já infectou mais de 17 mil pessoas, sendo que cerca de 6 mil morreram vítimas do vírus. Enquanto a ajuda internacional tem se dedicado a construir centros de tratamento e a fornecer suprimentos, ainda há uma grande escassez de médicos para tratar os pacientes. Libéria, Serra Leoa e Guiné já tinham poucos profissionais da saúde antes da crise do ebola começar e muitos deles foram infectados durante o surto.

Também nesta quarta-feira, o ator britânico Idris Elba e os jogadores de futebol Yaya Toure e Patrick Vieira, lançaram campanhas no rádio e na TV, que serão veiculadas em toda a região afetada pelo ebola. Os anúncios mostram as estrelas do esporte vestindo uniformes com os nomes dos médicos que ajudarão a tratar a doença e dão dicas de como evitar a contaminação. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Nigériaebolamédicos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.