Nigéria implementa medidas de segurança em Lagos

Forças de segurança invadiram neste sábado áreas próximas ao local de dois bombardeios na capital da Nigéria e detiveram oito suspeitos, incluindo estrangeiros, informou o Ministério de Defesa do país, enquanto a cidade se prepara para uma conferência internacional de três dias.

AE-AP, Agência Estado

03 Maio 2014 | 18h21

Todas as escolas e os prédios do governo em Abuja, na região central da Nigéria, fecharão durante o Fórum Econômico Mundial sobre África entre os dias 7 e 9 de maio, de acordo com ordem presidencial decretada depois que dois bombardeios em três semanas mataram quase 100 pessoas.

Extremistas islâmicos são culpados por ambos os ataques. Comunicado divulgado na noite de ontem informou que a medida foi tomada para "aliviar o tráfego" durante a conferência, que reunirá centenas de personalidades internacionais, empresários e líderes africanos. O primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, é convidado de honra DP evento.

O governo nigeriano informou que destacou 6 mil policiais e soldados para ajudar na segurança da conferência e o presidente Goodluck Jonathan garantiu que os delegados estarão a salvo. Mas a embaixada dos Estados Unidos alertou os cidadãos norte-americanos na sexta-feira que "grupos associados ao terrorismo" podem estar planejando um "ataque não especificado" ao hotel Sheraton em Lagos, capital comercial da Nigéria. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
NIGÉRIA SEGURANÇA CONFERÊNCIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.