Nigéria ordena libertação de 167 detidos em insurgência islâmica

O presidente nigeriano, Goodluck Jonathan, ordenou a libertação de 167 pessoas que foram presas durante uma campanha militar para acabar com a insurgência islâmica no nordeste, afirmou o Ministério da Defesa nesta sexta-feira.

Reuters

10 de janeiro de 2014 | 16h59

Jonathan luta para acabar com quatro anos e meio de insurgência do grupo Boko Haram, um grupo violento ligado à Al Qaeda que quer fundar um Estado islâmico na segunda maior economia e maior país produtor de petróleo da África.

Ele intensificou uma campanha militar contra os insurgentes em maio do ano passado, mas também diz que quer buscar caminhos mais tranquilos para a reconciliação.

Os governos ocidentais, incluindo os Estados Unidos, têm pedido a melhoria nos índices de direitos humanos da Nigéria e mais transparência sobre o tratamento dos detidos.

Milhares de pessoas foram mortas desde que o Boko Haram lançou seu primeiro levante, em meados de 2009, principalmente na remota região nordeste, na fronteira com Camarões, Chade e Níger.

(Reportagem de Camillus Eboh)

Tudo o que sabemos sobre:
NIGERIALIBERTAPRESOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.