Nigéria pede à ONU sanções contra Boko Haram

Diplomatas dizem que a Nigéria pediu ao Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) a imposição de sanções contra o grupo extremista Boko Haram, responsável por uma onda de ataques mortais e pelo recente sequestro de cerca de 300 adolescentes estudantes.

MATEUS FAGUNDES, Agência Estado

20 Maio 2014 | 13h18

Os diplomatas solicitaram nesta terça-feira ao Comitê que o Boko Haram seja adicionado à lista de organizações sujeitas ao embargo de armas e congelamento de ativos, em restrições parecidas com as impostas à Al-Qaeda, com a qual o grupo terrorista nigeriano mantém laços.

Enquanto tenta impedir o avanço do Boko Haram no cenário internacional, dentro do país o governo tenta impedir a onda de violência. O Parlamento da Nigéria aprovou hoje a prorrogação por mais seis meses do estado de emergência em três estados do Nordeste do país atingidos pela violência de extremistas islâmicos.

Os senadores aprovaram por unanimidade a continuação de poderes especiais em Adamawa, Yobe e Borno, na sequência de uma aprovação da Câmara dos Deputados na semana passada.

Além disso, na cidade de Jos, no centro do país, duas explosões atingiram um mercado lotado. Não há ainda informações sobre vítimas. (com informações da Dow Jones Newswires e da Associated Press)

Mais conteúdo sobre:
Nigéria Violência ONU Boko Haram

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.