Nigéria prende suspeitos de atentado que deixou 46 mortos

A polícia nigeriana deteve oito pessoas - seis bancários e dois seguranças - suspeitas de participação em uma explosão que causou a morte de pelo menos 46 pessoas em um banco de Lagos e abalou a estrutura de edifícios na capital comercial da Nigéria durante o fim de semana, informaram autoridades locais nesta quinta-feira.Os policiais prenderam dois seguranças ligados a uma empresa privada responsável por guardar o banco, disse uma fonte. Os outros seis são o gerente da agência do Prudent Bank e cinco funcionários.Os seguranças continuam presos. Os bancários foram libertados na noite de ontem, após interrogatórios. Especialistas disseram que a explosão foi causada por bombas. O porta-voz da polícia de Lagos, Emmanuel Ighodalo, informou que alguns dos materiais explosivos descobertos eram do tipo usado para destruir pedreiras.Os especialistas continuam investigando os pedaços maiores de explosivos para determinar exatamente quais são eles, prosseguiu Ighodalo."Os especialistas em bombas ainda estão realizando testes e não podemos confirmar a natureza exata dos artefatos", comentou.Inicialmente, as autoridades locais haviam descartado a hipótese de atentados. Porém, a posterior descoberta de explosivos, alguns deles intactos, fez os investigadores mudarem de opinião.A explosão de domingo ocorreu num bairro residencial e comercial densamente povoado de Lagos, e destruiu prédios que abrigavam o banco e dezenas de apartamentos.A detonação rompeu os cofres do banco. Algumas horas após o incidente, policiais detiveram jovens que roubavam o dinheiro espalhado pelo local.As autoridades analisam diversos motivos que poderiam ter levado à explosão do banco, inclusive um atentado como parte de um complô para assaltar os cofres da instituição financeira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.