Nigéria rejeita troca de prisioneiros do Boko Haram por alunas sequestradas

O presidente da Nigéria, Goodluck Jonathan, rejeitou a ideia de uma troca de prisioneiros do Boko Haram por alunas que foram sequestradas pelo grupo islâmico há um mês, disse o ministro da Grã-Bretanha para a África após uma reunião em Abuja nesta quarta-feira.

Reuters

14 de maio de 2014 | 16h15

"Ele deixou bem claro que não haverá negociações com o Boko Haram que envolva uma troca de alunas sequestradas por presos", afirmou Mark Simmonds em entrevista coletiva.

O líder do grupo rebelde islâmico Boko Haram ofereceu na segunda-feira a libertação das mais de 200 alunas sequestradas em troca dos seus prisioneiros.

Militantes do grupo, que luta por um Estado islâmico, atacaram uma escola secundária no vilarejo de Chibok, no nordeste da Nigéria, em 14 de abril e levaram 276 estudantes que faziam provas. Algumas conseguiram escapar, mas cerca de 200 continuam desaparecidas.

(Reportagem de Matthew Bigg Mpoke)

Tudo o que sabemos sobre:
NIGERIAREJEITATROCA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.