Alva White/MSF
Alva White/MSF

Nigeriana dá à luz em navio de resgate no Mediterrâneo

A médica que realizou o parto explicou que, se o resgate tivesse acontecido 24 horas mais tarde, 'teria sido uma tragédia'

O Estado de S. Paulo

12 de setembro de 2016 | 21h23

ROMA - Uma mulher nigeriana deu à luz nesta segunda-feira, 12, a um menino no navio Aquarius da organização humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF), poucas horas depois de ser resgatada de um bote inflável que se encontrava à deriva no Canal da Sicília, informou a ONG.

O Aquarius, um dos dois navios da MSF, recuperou ontem 252 pessoas e recebeu outras 140, transferidas por outras embarcações, por isso, no total, 392 imigrantes viajavam nele hoje com destino a um porto italiano quando aconteceu o parto.

"O parto, além de constituir uma boa notícia em si, também evidencia o alto risco para as pessoas mais vulneráveis que diariamente atravessam o Mediterrâneo", afirmou a organização.

O bebê, que recebeu o nome de Newman Otas, estava em perfeito estado e nasceu em águas internacionais. "Estava muito nervosa no bote, sentada com as outras mulheres e crianças, e pensava que, a qualquer momento, entraria em trabalho de parto. Estava sentindo contrações durante três dias", relatou a mãe.

A médica que realizou o parto explicou que, se o resgate tivesse acontecido 24 horas mais tarde, "teria sido uma tragédia, já que a mulher teria de dar à luz em um bote cheio de água e combustível, e sem espaço para se movimentar, à mercê do mar".

O bebê está agora a salvo com sua mãe, seu pai e seus dois irmãos, que também estavam no bote, e a família foi levada a um porto italiano onde desembarcará provavelmente amanhã. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
NigériaMédicos Sem Fronteiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.