Nigéria:presidente cancela visita a aldeia de raptadas

O presidente da Nigéria, Goodluck Jonathan, cancelou nesta sexta-feira a sua viagem ao traumatizado povoado onde extremistas islâmicos sequestraram mais de 300 estudantes adolescentes, aparentemente devido a preocupações com sua segurança. Os familiares das garotas disseram que o líder não mostrou respeito por suas emoções.

AE, Agência Estado

16 Maio 2014 | 13h13

Dois funcionários da presidência confirmaram o cancelamento, dizendo que foi uma orientação para a segurança do mandatário.

Esta seria a primeira visita do presidente ao lugar do ataque, na região noroeste do país, que tem sofrido durante cinco anos das agressões cada vez mais letais do grupo Boko Haram.

"Isto é realmente triste para a maioria de nós porque todos pensamos que ele viria e todos imaginamos que sua visita nos daria mais esperança para a libertação de nossas meninas", disse um dos pais, que não quis se identificar.

Rebeldes do Boko Haram sequestraram em 15 de abril a mais de 300 estudantes de uma escola secundária pertencente ao governo. A polícia afirma que 53 delas conseguiram escapar e que 276 continuam desaparecidas. O grupo terrorista é contrário à educação de mulheres. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Nigéria sequestro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.