'Ninguém irá deter nossa revolução', diz Correa

"Ninguém irá deter nossa revolução", declarou o presidente do Equador, Rafael Correa, pouco depois de pesquisas de boca de urna terem apontado sua reeleição ao cargo com cerca de 60% dos votos. Da sacada do Palácio de Carendolet, sede do governo equatoriano, Correa agradeceu aos eleitores pelo apoio.

AE, Agência Estado

17 de fevereiro de 2013 | 21h12

Ele disse à multidão reunida em uma praça na região central de Quito que não pretende promover grandes mudanças em seu gabinete e tem a intenção de manter e acelerar as políticas que vem implementando nos últimos anos.

Uma pesquisa de boca de urna feita pelo instituto Cedatos Gallup mostrava Correa com 58,8% dos votos. A sondagem, feita com 28 mil eleitores, tem margem de erro de 3,5 pontos porcentuais para mais ou para menos. Outra pesquisa feita pelo instituto Opinión Pública apontava vitória de Correa com 61% dos votos.

A segunda posição ficou com o ex-banqueiro Guillermo Lasso, com aproximadamente 20% dos votos, segundo levantamentos divulgados pelas emissoras de TV Teleamazonas e Ecuavisa e pelo jornal local El Comercio.

Se confirmados os resultados das pesquisas de boca de urna, o jovem economista de esquerda se reelegerá para mais quatro anos de mandato. Para evitar um segundo turno, Correa precisa de maioria simples ou de 40% dos votos mais uma margem de 10 pontos sobre o segundo colocado.

As pesquisas de boca de urna foram divulgadas por volta das 19 horas (de Brasília), imediatamente após o fim da votação. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EQUADORELEIÇÕESBOCA DE URNA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.