'Ninguém quer a guerra', diz primeiro-ministro da Índia

O primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh, afirmou hoje que "ninguém quer a guerra". A declaração busca diminuir a tensão com o Paquistão, após os ataques em Mumbai no mês passado. Singh renovou seu pedido para que o governo vizinho enfrente os grupos militantes islâmicos culpados pelos ataques à capital financeira indiana. Mais de 160 pessoas morreram na operação. "O problema não é a guerra. O problema é o terror e o território no Paquistão sendo usado para promover e encorajar o terrorismo", afirmou o primeiro-ministro.A investigação sobre os ataques aumentou a tensão entre Índia e Paquistão. Os países são rivais de longa data e já travaram três guerras, desde que conseguiram a independência da Grã-Bretanha, em 1947. O governo da Índia afirmou que "militantes no Paquistão" eram os responsáveis pelos ataques. Islamabad realizou algumas prisões e afirma estar investigando os militantes, porém também reclama da falta de cooperação dos indianos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.