Níveis de poluição do CO2 atingem recorde

A quantidade de gases de efeito estufa na atmosfera atingiu recorde em 2013 causada por um aumento no nível de dióxido de carbono (CO2), informou a Organização Meteorológica Mundial (OMM) nesta terça-feira, clamando por uma ação internacional para combater mudanças climáticas.

Estadão Conteúdo

09 de setembro de 2014 | 11h57

"Sabemos, sem dúvida, que nosso clima está mudado e que as condições climáticas estão se tornando mais extremas devido a atividades humanas como queima de combustíveis fósseis", disse o secretário-geral da OMM, Michel Jarraud, em um pronunciamento durante a divulgação do Boletim Anual de Gases de Efeito Estufa.

O aumento dos níveis de dióxido de carbono está ultrapassando o uso de combustíveis fósseis, deixando implícito que a habilidade natural do planeta de absorver as emissões do gás pode estar diminuindo, informou o relatório.

"Isso pode ser devido à redução da absorção de CO2 pela biosfera", disse Jarraud, mas ressaltou que mais pesquisas são necessárias. "Se isso se confirmar, é uma preocupação significativa." A biosfera, incluindo plantas e solo, e os oceanos, absorvem, cada um, 25% das emissões humanas de CO2. Se essa proporção diminuir, mais gases de efeito estufa continuarão na atmosfera, onde podem permanecer por séculos.

Os oceanos estão ficando rapidamente mais ácidos, prejudicando sua habilidade de absorver dióxido de carbono. O porcentual atual de acidificação dos oceanos não tem precedentes há pelo menos 300 milhões de anos, disse a OMM.

O metano, segundo gás mais importante do efeito estufa, continua a aumentar em proporção similar aos últimos cinco anos, atingindo uma média global de 1824 ppm (partes por milhão). Outro principal causador do fenômeno, o óxido nitroso, atingiu 325,9 ppm, crescendo em proporção comparável à média na última década.

Ainda que as emissões de carbono humanas caiam em 80% até 2050, o total de gases de efeito estufa na atmosfera mal terão diminuído em 2100. Quanto mais cresce o uso de combustíveis fósseis, mais difícil será reverter o aquecimento global, disse a OMM. "Emissões passadas, presentes e futuras de CO2 terão um impacto cumulativo no aquecimento global e na acidificação dos oceanos. As leis da física não são negociáveis", alertou Jarraud. "Estamos ficando sem tempo", completou.

O volume de dióxido de carbono, principal gás causador do efeito estufa emitido por atividades humanas, era de 396 ppm em 2013, 2,9 ppm maior do que em 2012. É o maior crescimento anual desde 1984, quando o relatório começou a ser elaborado.

Emissões de gases do efeito estufa estão aumentando principalmente devido ao crescimento industrial na China, Índia e outros países emergentes. Quase 200 governos concordaram em trabalhar em um acordo para limitar o aquecimento global em uma reunião de cúpula em Paris que será realizada em 2015.

Os cientistas do painel de clima da organização das Nações Unidas (ONU) dizem que há 95% de probabilidade de que as atividades humanas são a principal causa do aquecimento global desde 1950, mas representantes de diversos países estão em dúvida, suspeitando que variações naturais devem ser culpadas. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.