Nível de mar subirá mais do que o previsto para 2100, diz estudo

Segundo relatório intitulado 'A década crítica' da Comissão de Mudança Climática da Austrália, calcula-se que o aumento das águas seja de 0,5 a um metro

Efe,

23 de maio de 2011 | 01h40

SYDNEY - O nível das águas do mar subirá um metro mais do que o calculado anteriormente, em 2100, como consequência do aquecimento global, segundo um estudo do governo australiano divulgado nesta segunda-feira, 23.

 

"O cálculo plausível do aumento do nível das águas do mar para 2100, em comparação com 2000, é de 0,5 a um metro", segundo o relatório intitulado "A década crítica" da Comissão de Mudança Climática.

 

Este número supera os cálculos do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas da ONU, que previu um aumento de 0,18 a 0,76 metro para esse mesmo período, informa o documento.

O nível das águas do mar aumentou em 20 centímetros desde 1880, lembrou o estudo.

 

A comissão também cobra "descarbonizar" a economia australiana, ou seja, reduzir ao máximo as emissões de dióxido de carbono (CO2) e utilizar energias limpas até 2050.

 

O chefe da Comissão, Tim Flannery, disse que a Austrália tem exatamente oito anos e sete meses para cumprir o objetivo de reduzir em 5% a emissão de CO2 para 2020, em relação aos níveis do ano 2000, segundo a emissora local ABC.

 

A Austrália é uma das nações mais poluentes do mundo em termos per capita, com uma taxa cinco vezes maior que a da China, justamente o principal mercado para suas exportações de carvão e outros recursos naturais.

 

O país assinou o Protocolo de Kioto quando os trabalhistas chegaram ao poder, em 2007, e atualmente se debate no país um polêmico imposto para a emissão de carbono.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.