Rungroj Yongrit/EFE
Rungroj Yongrit/EFE

Explosão de bomba em hospital de Bangcoc deixa mais de 20 feridos

Apesar de nenhum grupo ter assumido a autoria da ação, suspeita deve recair sobre dissidentes políticos que se opõem ao governo militar ou separatistas muçulmanos

O Estado de S.Paulo

22 Maio 2017 | 06h33
Atualizado 22 Maio 2017 | 10h36

BANGCOC - A explosão de uma bomba em um hospital de Bangcoc, capital da Tailândia, feriu mais de 20 pessoas nesta segunda-feira, 22, no aniversário do golpe militar de 2014. Nenhum grupo assumiu a responsabilidade pela ação ocorrida no Hospital Phramongkutklao, que é popular entre soldados e militares aposentados.

"Foi uma bomba. Encontramos os pedaços que foram usados para fazê-la", disse Kamthorn Aucharoen, comandante da equipe de arsenal de explosivos da polícia. "Neste momento, as autoridades estão verificando as câmeras do circuito fechado."

O porta-voz do governo, Sansern Kaewkamnerd, informou que 24 pessoas ficaram feridas. A maioria foi atingida por estilhaços de vidro, segundo a unidade de segurança nacional dos militares.

A suspeita deve recair sobre os dissidentes políticos que se opõem ao governo militar ou sobre separatistas muçulmanos localizados no sul do país predominantemente budista. 

O vice-chefe da polícia nacional, general Srivara Rangsibrahmanakul, informou que a bomba foi escondida em um contêiner junto à entrada da farmácia.

Esta segunda-feira marca o aniversário do golpe militar de 22 de maio de 2014, que depôs um governo eleito democraticamente e encerrou meses de tumultos, incluindo manifestações de rua que deixaram vítimas fatais. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.