Max Rossi/Reuters
Max Rossi/Reuters

No Chile e no Peru, papa tentará fortalecer compromisso com indígenas

Francisco visitará áreas mapuche no sul chileno e reservas castigadas pelo garimpo de ouro na Amazônia peruana

O Estado de S.Paulo

09 Janeiro 2018 | 15h33

VATICANO - Em sua nova visita à América Latina, o papa Francisco ratificará seu compromisso com os povos indígenas, em visitas a áreas mapuches no sul do Chile e à Amazônia peruana. Em visitas a México, Equador, Bolívia, Paraguai e Colômbia, Francisco já pediu perdão a povos originários por abusos passados da Igreja Católica.

+ Papa pede que eleição na Venezuela seja solução para crise no país

No Chile, o papa visitará a cidade de Temuco, capital da província de Araucânia, onde os mapuches reivindicam terras controladas por madereiras. Os mapuches lideraram uma férrea resistência contra colonizadores espanhóis no Chile nos séculos 16 e 17 e hoje vivem em 5% de suas terras originais. 

Há 20 anos, grupos radicais passaram a reivindicar seus direitos, às vezes de maneira violenta. Os indígenas, que são vistos com ressalvas por parte da população, esperam que a visita papal os ajude a tornar sua causa mais visível.

Após passar por Santiago e Iquique, no norte do Chile, o papa se dirigirá ao Peru, onde se reunirá com indígenas vítimas do garimpo ilegal de ouro em Puerto Maldonado. O país tem uma das maiores populações originárias da América do Sul. Só na Amazônia vivem 350 mil pessoas distribuídas em 50 etnias. /AFP 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.