No currículo, três décadas de crimes e atrocidades

O amuleto usado pelo líder dos tigres tâmeis, Vellupillai Prabhakaran, morto aos 54 anos, era um vidro de cianeto. Ele prometia nunca ser capturado vivo e ameaçava tomar o veneno se um dia fosse preso. Seus seguranças mais próximos tinham ordens de atear fogo em seu corpo antes que ele caísse em mãos inimigas. Prabhakaran pegou em armas pela primeira vez em 1972. Depois de eliminar todos os grupos tâmeis rivais, em 1983, entrou na guerra contra o governo, dando início a uma das guerras civis mais longas do mundo. Conhecido como Thamby - "irmãozinho", em tâmil -, Prabhakaran estava na lista dos criminosos mais procurados pela Interpol e liderava o grupo apontado como o criador dos ataques com homens-bomba.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.