No Egito, confronto entre muçulmanos e cristãos deixa feridos

Várias pessoas ficaram feridas em distúrbios e confrontos ocorridos hoje entre muçulmanos e membros da minoria cristã egípcia na cidade de Alexandria, no norte do país, informaram fontes policiais e testemunhas. Os incidentes violentos começaram no bairro de Sidi Beshr, durante o funeral de um cristão que morreu ontem depois de ser ferido com uma arma branca em uma das três igrejas da cidade atacadas por um muçulmano, incidente no qual outras cinco pessoas ficaram feridas. As fontes não disseram o número exato dos feridos nos episódios de hoje, mas afirmaram que as ambulâncias levaram vários cristãos e muçulmanos para hospitais próximos. Além disso, várias lojas foram destruídas e dois carros foram avariados. As forças anti-distúrbios conseguiram controlar a situação depois de atirar para o ar e lançar bombas de gás lacrimogêneo. No entanto, a situação continua tensa, disseram várias testemunhas. Centenas de cristãos se manifestaram ontem e hoje em Sidi Beshr, na zona leste de Alexandria, em protesto contra o ataque de sexta feira contra as igrejas cristãs. Nas manifestações, a versão oficial de que a agressão foi cometida por um "desequilibrado mental" foi rejeitada. Após o ataque, as autoridades reforçaram as medidas de segurança ao redor das igrejas da minoria copta, que são 10% dos 73 milhões de egípcios.

Agencia Estado,

15 Abril 2006 | 12h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.