No Haiti, 14 funcionários da Unesco estão desaparecidos

Catorze funcionários da Unesco no Haiti estão desaparecidos após o forte terremoto que atingiu ontem o país, informou hoje Irina Bokova, diretora da agência da Organização das Nações Unidas (ONU). "Estou ansiosamente esperando notícias dos funcionários da Unesco em Port-au-Prince," disse. "Até agora, 14 funcionários do escritório da Unesco não foram encontrados."

AE, Agencia Estado

13 de janeiro de 2010 | 12h19

O chefe civil das forças de paz da ONU no Haiti, o tunisiano Hedi Annabi e "todos os que estavam ao seu redor" podem ser morrido depois que a base onde estavam ter desabado após o tremor, informou hoje Bernard Kouchner, ministro de Relações Exteriores da França.

"O prédio da missão de paz da ONU desabou e parece que todos os que estavam em seu interior, incluindo meu amigo Hedi Annabi e todos os que estavam com ele e ao redor, estão mortos", disse. Annabi é o chefe civil da Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (Minustah). As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
HaititerremotoUnescoONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.