Danish Siddiqui/REUTERS
Danish Siddiqui/REUTERS

No Nepal, homem é resgatado após 3 dias preso sob escombros

Rishi Khanal, de 28 anos, foi resgatado por uma equipe de franceses e pela polícia nepalesa; ele estava preso nos destroços de um hotel e bebeu a própria urina para sobreviver

O Estado de S. Paulo

29 de abril de 2015 | 04h00

(ATUALIZADA ÀS 9h30) KATMANDU - Um nepalês foi resgatado com vida nesta quarta-feira, 29, após permanecer 82 horas soterrado depois do desabamento de um edifício em Katmandu, provocado pelo terremoto de magnitude 7,8 graus que devastou o Nepal no último sábado.

Rishi Khanal, de 28 anos, foi resgatado por uma equipe de franceses e pela polícia nepalesa, que trabalharam em parceria durante 10 horas para libertar o jovem, que não conseguia sair dos escombros porque uma viga mantinha presa uma de suas pernas, informou o jornal local "Nepali Times".

"Eu tinha alguma esperança, mas ontem eu já havia desistido. Minhas unhas já estavam todas brancas e meu lábios, rachados", disse Rishi, deitado na cama do hospital e cercado por familiares. "Eu tinha certeza que ninguém estava vindo para me salvar e que ia morrer", acrescentou.

O homem, que não deixou claro se era funcionário ou hóspede do hotel onde foi resgatado, afirmou que, antes do terremoto, havia acabado de almoçar e subido para o segundo andar. Então, os tremores tiveram início e ele ficou preso após ser atingido com a queda da alvenaria.

Ao longo dos três dias, Rishi contou que ficou cercado de pessoas mortas e que o cheiro era "terrível". Para se salvar, batia nos escombros para que alguém escutasse e fosse resgatá-lo. "Não havia nenhum som saindo ou entrando. Não havia nada para comer ou beber, então eu bebi a minha urina", lembra a vítima, que ficou 82 horas debaixo dos escombros.

"Começamos a escavar um buraco através do concreto seguindo as instruções dos franceses, depois cortamos a viga que prendia a perna do rapaz", disse o policial Narayan Thapa ao jornal.

Outra pessoa que estava viva entre os destroços do mesmo edifício não conseguiu sobreviver até a chegada das equipes de resgate, conforme o "Nepali Times".

Em outro resgate ocorrido na segunda-feira, uma mulher paraplégica, de 32 anos, foi retirada com vida e em estado estável após passar 50 horas entre os escombros de sua própria casa, também em Katmandu.

O número de mortos pelo terremoto já superou os 5.000 e o de feridos chegou a 11.000, de acordo com o último balanço divulgado pelo Ministério do Interior do Nepal.

Os trabalhos de resgate continuam sendo atrapalhados pelo mau tempo e pela falta de capacidade do país em responder um desastre de tal magnitude, enquanto o tempo para encontrar sobreviventes está praticamente se esgotando. / EFE e AP

Tudo o que sabemos sobre:
Nepalterremototerremoto no Nepal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.