No Paquistão, Gates discute ação conjunta contra terrorismo

O secretário norte-americano de Defesa, Robert Gates, afirmou nesta segunda-feira que os EUA não vão negligenciar o Paquistão e pretendem cooperar com o país no combate ao terrorismo na fronteira com o Afeganistão.Após um encontro de cerca de uma hora com presidente paquistanês, general Pervez Musharraf, durante uma rápida visita a Islamabad, Gates disse a jornalistas que os dois discutiram uma ofensiva conjunta contra um possível ataque do Taleban nos próximos meses.O secretário de Defesa afirmou também que os EUA negligenciaram o Paquistão por 20 anos, contribuindo para o aumento do extremismo na região. "Nós não vamos cometer o mesmo erro novamente", afirmou. "Os EUA pagaram um preço por isso em 11 de setembro de 2001."Gates chegou ao Paquistão, após uma visita à Europa, na qual pediu que os países aliados aos EUA contribuam com mais tropas e dêem mais apoio aos 35 mil soldados ocidentais que atuam no Afeganistão.O Paquistão reivindica com freqüência uma ação da coalizão norte-americana contra as tropas do governo afegão e a ação dos talebans em seu território. De acordo com o governo paquistanês, cerca de 80 mil soldados estão posicionados na fronteira com o Afeganistão, com o objetivo de combater eventuais ataques.Recentemente, o país anunciou também que pretende erguer uma cerca ao longo da fronteira e utilizar minas terrestres. Autoridades paquistanesas acreditam que árabes, asiáticos e afegãos ligados à Al-Qaeda e ao Taleban estejam escondidos nessa região.Este texto foi alterado às 9h14 para acréscimo de informações

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.