No Peru, Keiko Fujimori tem 52% das intenções de voto

Segundo turno será disputado em 5 de junho; erros recentes prejudicaram Humala

Agência Estado

19 de maio de 2011 | 17h48

Humala e Keiko buscam apoio de ex-candidatos para o segundo turno.

 

LIMA - Uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira, 19, mostra que a candidata de centro-direita Keiko Fujimori retomou a liderança na corrida presidencial no Peru. O levantamento feito pela empresa Datum mostra Keiko com 52,1% de apoio, contra 47,9% do nacionalista de esquerda Ollanta Humala, levando-se em conta apenas os votos válidos. O segundo turno no Peru está marcado para o dia 5 de junho.

 

Levando-se em conta os votos gerais, Keiko tem 45,4% das intenções e Humala conta com 41,8%, sendo que os 13,8% restantes continuam indecisos ou pretendem anular ou votar em branco. O voto é obrigatório no Peru. O jornal Peru21 publicou um comentário que diz que "o interessante é que o segmento de eleitores indecisos continua a cair e já quase chegou à média histórica de 12%". A pesquisa ouviu 1.211 pessoas no dia 15 e tem margem de erro de 2,8 pontos porcentuais para mais e para menos.

 

O Eurasia Group, empresa de pesquisa de risco e consultoria política, disse que os erros recentes cometidos por Humala e as notícias negativas divulgadas pela mídia sobre o candidato prejudicaram sua campanha. "Nós ainda achamos que mais eleitores indecisos vão optar por Humala, mas a vitória de Keiko Fujimori não seria uma surpresa", disse Erasto Almeida em relatório.

 

Keiko Fujimori, de 35 anos, é filha do ex-presidente Alberto Fujimori, que governou o Peru entre 1990 e 2000, e atualmente está preso por conta de crimes cometidos na sua administração. Já Humala, de 48 anos, concorreu à presidência em 2006 e quer aumentar o papel do Estado na economia.

 

A pesquisa da Datum descobriu que 54,8% dos peruanos acreditam que o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, colabora financeiramente com a atual campanha eleitoral de Humala, que nega receber fundos do líder do país vizinho. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.