No sul do Sudão, mais de 99% votam pela independência

A comissão para o referendo no sul do Sudão disse, neste domingo, que mais de 99% dos eleitores optaram pela separação do norte do país, em um pleito realizado no início do mês. Milhares comemoraram o anúncio em Juba, a capital do Sudão do Sul.

AE-AP, Agência Estado

30 de janeiro de 2011 | 13h06

A votação durou uma semana, no início de janeiro, e foi elogiada por ter sido pacífica e por ter ficado dentro dos padrões internacionais. O referendo era a condição para o acordo de paz de 2005, que encerrou a guerra civil norte-sul, que já durava duas décadas e matou 2 milhões de pessoas.

O chefe da comissão do escritório do sul, Justice Chan Reec Madut, disse que o número de votos úteis nos 10 Estados foi também de 99%. Ele afirmou que apenas 16 mil eleitores no sul escolheram permanecer unidos com o norte, enquanto 3,7 milhões escolheram a independência.

No norte do Sudão, 58% dos eleitores escolheram a independência, disse Mohamed Ibrahim Khalil, presidente da comissão do referendo na região. Cerca de 60% dos eleitores participaram.

Os resultados do referendo, disse Khalil, conduzem a uma mudança de situação. "A mudança abrange apenas a forma constitucional de relacionamento entre norte e sul. Norte e sul estão juntos em laços históricos e geográficos indissolúveis", afirmou.

Os oficiais da comissão de referendo não anunciaram um porcentual total para todos os votos. No website, neste domingo, a comissão disse que 98,8% dos eleitores escolheram independência, mas citou que o número poderia mudar.

Se o processo continuar desta forma, o Sudão do Sul pode se tornar o mais novo país do mundo em julho. Demarcação de fronteira, direitos sobre petróleo e status da região disputada de Abyei ainda precisam ser negociados. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Sudãoreferendoindependência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.