Reprodução
Reprodução

No Twitter, Hillary e Trump se dizem indignados com atentado em Orlando

Democrata e republicano falam em 'tiroteio horrível' e 'notícia devastadora' em seus perfis na rede social

O Estado de S.Paulo

12 Junho 2016 | 12h52

WASHINGTON - A democrata Hillary Clinton e o republicano Donald Trump, prováveis candidatos à Casa Branca, utilizaram suas contas oficiais no Twitter para abordar o ataque a tiros em uma casa noturna frequentada pelo público LGBT em Orlando, na Flórida, que deixou vitmou mais de 100 pessoas, entre mortos e feridos.

"Acordei com a notícia devastadora na Flórida. Enquanto esperamos por mais informações, meus pensamentos estão com os afetados por este ato horrível", afirmou Hillary, em sua conta do Twitter.

Trump também recorreu ao Twitter para falar sobre o fato. "Tiroteio realmente terrível. Polícia investigando possível terrorismo. Muitas pessoas mortas e feridas".

O senador Bernie Sanders, que competiu com Hillary pela indicação presidencial democrata, qualificou o massacre de "horrível" e "inimaginável" e manifestou esperança de que os feridos "possam se recuperar", em entrevista à emissora NBC.

A polícia de Orlando informou hoje que o número de vítimas mortais do massacre no clube Pulse de Orlando subiu para 50 pessoas, além de 53 feridos.

O tiroteio, que começou por volta das 2h local (3h em Brasília), está sendo investigado como um "ato de terrorismo", afirmou a Polícia.

O suposto responsável do tiroteio, que levava um fuzil e uma pistola, foi morto em um enfrentamento com agentes da SWAT. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.