No voo presidencial, 8 horas de conversa

BASTIDORES: Rafael Moraes Moura

O Estado de S.Paulo

11 de dezembro de 2013 | 02h02

A presidente Dilma Rousseff e os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva, Fernando Henrique Cardoso, José Sarney e Fernando Collor passaram juntos as oito horas do voo da Força Aérea Brasileira (FAB) entre Rio de Janeiro e Johannesburgo. Almoçaram, conversaram, jantaram e não dormiram. Ontem, embarcaram de volta ao Brasil, desta vez em voo com escala em Angola. Os antecessores de Dilma ficaram com a presidente na chamada cabine presidencial, onde há oito poltronas.

Collor e Sarney sentaram-se de um lado do corredor, FHC de outro, à frente de Dilma e Lula, que toda hora andava para lá e para cá. Dilma convidou os ex-presidentes para acompanhá-la em cerimônia realizada ontem em homenagem ao líder sul-africano Nelson Mandela, morto na quinta-feira. "Foi muito aprazível, foi bom. Conversamos o que pessoas civilizadas conversam nesses momentos - sobre assuntos variados", disse FHC. No menu da FAB, foram servidos às autoridades estrogonofe e peixe com camarão.

Ao chegar, na madrugada de terça-feira a Johannesburgo, Lula brincou com a imprensa: "Ela (Dilma) quer deixar metade da gente aqui". A presidente, bem-humorada, respondeu que levaria todos os ex-presidentes de volta "direitinho". Em Johannesburgo, os ex-presidentes e Dilma ficaram nos dois últimos andares de um hotel cinco estrelas, no espaço destinado a autoridades VIP.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.