Nobel da Paz Aung San Suu Kyi poderá ganhar liberdade

A junta militar de Mianmar sinalizou aos países vizinhos no sudeste asiático que a líder da oposição e Prêmio Nobel da Paz, Aung San Suu Kyi, poderá ganhar liberdade de sua prisão domiciliar em cerca de seis meses, informou o ministro das Relações Exteriores de Cingapura neste domingo. O sinal veio após a Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN) expressar "profundo desapontamento" com a decisão da junta, anunciada em maio, de estender a detenção de Suu Kyi por mais um ano.Suu Kyi, secretária-geral da Liga Nacional pela Democracia (LND), passou mais de 12 dos últimos 18 anos confinada em sua casa de Yangun, a antiga capital birmanesa. A líder opositora foi detida pela primeira vez em 1989, um ano antes de a LND vencer as últimas eleições democráticas realizadas no país e cujos resultados não foram reconhecidos pelos generais que governam Mianmar desde 1962.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.