Nobel da Paz inspira esforços por paz na Síria, diz Opaq após prêmio

Para diretor-geral de agência, guerra é lembrete trágico que há muito trabalho a fazer

O Estado de S. Paulo,

11 de outubro de 2013 | 09h37

HAIA, HOLANDA - O diretor-geral da Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq), Ahmet Uzumcu, disse esperar que o Prêmio Nobel da Paz dado à entidade nesta sexta-feira, 11,  inspire os esforços pela paz na Síria. Em guerra civil há mais de dois anos, o conflito foi marcado por um massacre com gases venenosos que matou 1,4 mil pessoas, entre elas mulheres e crianças.

"Eu realmente espero que esse prêmio contribua para esforços maiores por um acordo de paz", disse Uzumcu. "Os eventos na Síria são um lembrete trágico que há muito trabalho a fazer."

O diretor-geral da Opaq disse ter ficado gratamente surpreso com o prêmio. A favorita para ganhar o Nobel desse ano era a adolescente paquistanesa Malala Yousafzai, baleada pelo Taleban por defender o direito de meninas frequentarem a escola em áreas tribais.

"Esse prêmio nos impulsiona por um esforço sem descanso e comprometimento e dedicação ainda maiores", concluiu Uzumcu. A cerimônia de entrega do Nobel ocorre em 10 de dezembro, em Oslo, na Noruega. / AP

Notícias relacionadas
Tudo o que sabemos sobre:
Nobel da PazOpaqSíria

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.