Nobel da Paz timorense está a favor da guerra

O prêmio Nobel da Paz José Ramos Horta, líder histórico da resistência contra a ocupação indonésia no Timor Leste e atual ministro das Relações Exteriores da nação recém-nascida, manifestou seu apoio a uma guerra contra o líder iraquiano Saddam Hussein. Em uma entrevista à rádio australiana ABC, Ramos Horta afirmou que a política de contenção está destinada a fracassar e seria perigoso ignorar a ameaça representada pelo regime de Bagdá.Ramos Horta comparou as condições do povo iraquiano com as do povo timorense quando estava sob a ocupação indonésia, que "durante muito tempo pediu ajuda às potências estrangeiras para ser libertada, pela força se necessário". Entre 100 mil e 200 mil timorenses morreram durante os 25 anos de ocupação indonésia, e pelo menos mil foram assassinados por militares e milícias antes do referendo pela independência, realizado em 1999. "Se os movimentos contra a guerra convencerem os EUA e seus aliados a não irem à guerra contra o Iraque, terão contribuído para a paz dos mortos... Saddam Hussein surgirá vitorioso e ainda mais provocador", disse o ministro. "A história ensina que o uso da força é às vezes o preço necessário para a libertação", acrescentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.