Noiva de 87 anos casa com noivo estuprador, pedófilo, assassino

A norte-americana Radmila Dobrijevickan, de 87 anos, casou na quarta-feira, no Estado de Connecticut, com Frank Czumalowski, de 49 anos, acusado de matar a avó e uma tia dele, e de enterrar os corpos no jardim, há 30 anos. Czumalowski, que também é acusado de pedofilia, ficou internado durante seis anos em um hospital psiquiátrico.Mas Radmila terá de esperar para iniciar a lua-de-mel, pois Czumalowski saiu da cerimônia algemado por ordem judicial. Ele vai ficar dois anos e meio na prisão, por desrespeitar sua situação de liberdade sob fiança, quando cumpria condenação pelo estupro de sua enteada de 12 anos.Segundo a polícia, Czumalowski matou sua avó, de 82 anos, a socos em 1976 e depois assassinou sua tia, de 60, a punhaladas. O homem enterrou os corpos no jardim da casa das mulheres assassinadas.Em 1994 foi detido pelo estupro de sua enteada. Sete anos depois foi posto em liberdade com a condição de que se submetesse a um tratamento para combater suas inclinações pedófilas.No entanto, em março passado Czumalowski não conseguiu passar em um teste com o detector de mentiras, após ser surpreendido em companhia de um menino. Depois da cerimônia, enquando Czumalowski era devolvido à prisão, a idosa esposa defendeu a inocência do marido. "Sequer era capaz de matar uma mosca. Espero ter uma vida feliz com ele", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.