Nome de Kerry ganha força para ocupar Departamento de Estado

O nome do senador democrata John Kerry para o Departamento de Estado ressurgiu com força na imprensa americana ontem, apesar da resistência interna nos meios diplomáticos e na própria Casa Branca à sua indicação. De acordo com a rede de televisão CNN, sua nomeação pelo presidente dos EUA, Barack Obama, se daria nos próximos dias.

WASHINGTON, / D.C.M., O Estado de S.Paulo

17 de dezembro de 2012 | 02h04

Consultas da Casa Branca com o Senado, que o terá de sabatinar e validar sua indicação, foram iniciadas e indicaram não haver restrições, mesmo entre a oposição. O senador republicano John McCain, o chamou na semana passada de "senhor secretário".

Obama teria decidido premiar Kerry por sua atuação como presidente do Comitê de Relações Exteriores do Senado depois de ter notado a impossibilidade da aprovação de sua favorita para o posto, Susan Rice, embaixadora dos EUA na ONU, pela própria base democrata no Senado.

Kerry foi um dos principais responsáveis pela aprovação, em 2010, do tratado dos EUA com a Rússia de redução de arsenal nuclear. Foi incumbido por Obama, nos últimos anos, da missão de dialogar com os governos do Paquistão e do Afeganistão, na condição de seu enviado especial. Em setembro passado, na convenção nacional do partido democrata, coube a ele o discurso sobre política exterior.

"Perguntem a Osama Bin Laden se ele está melhor agora do que há quatro anos", afirmou Kerry na ocasião.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.