Norte-americana é acusada de matar sete bebês

Uma mulher norte-americana foi presa no domingo sob a acusação de ter matado sete bebês aos quais ela mesmo deu à luz ao longo de uma década. A polícia revelou ter descoberto pequenos corpos enterrados em caixas de papelão na garagem de sua antiga casa.

AE, Agência Estado

14 de abril de 2014 | 00h25

Megan Huntsman, de 39 anos, viveu em um bairro de classe média de Utah até três anos atrás e teve os filhos entre 1996 e 2006, disseram os investigadores. O capitão da polícia Michael Roberts disse que o ex-marido de Huntsman ligou denunciando a morte de um bebê na casa. Os oficiais então descobriram outros seis corpos. A casa pertence ao ex-marido, que estava limpando a garagem quando fez a descoberta.

Roberts se recusou a comentar o motivo dos crimes ou o teor da conversa de Huntsman durante entrevista com os investigadores.

Os vizinhos disseram estar chocados com as acusações e perplexos pelo fato de a filha mais velha ainda viver na casa e não saber da gravidez da mãe e não notar nada suspeito. Três filhas de Huntsman ainda vivem na casa, relatou a vizinha Sharon Chipman ao The Salt Lake Tribune. As mais velhas têm entre 18 e 20 anos de idade, enquanto a mais nova possui 13 anos.

Chipman disse que Huntsman era uma boa vizinha e que inclusive confiava nela para cuidar de seu neto quando ele era pequeno. "Ela cuidou bem dele. Ela era boa. Isso realmente me chocou", disse.

O porta-voz da polícia declarou acreditar que o ex-marido estava casado com Huntsman quando os bebês nasceram, mas disse que ele não é uma pessoa de interesse no momento. A identidade dele não foi revelada. Questionado sobre como ele poderia não saber da situação, Roberts respondeu: "essa é a pergunta de um milhão de dólares".

Os corpos foram enviados para o escritório médico de Utah para testes. Amostras de DNA determinarão definitivamente se os dois são os pais das crianças, como os investigadores acreditam. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Euabebês

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.