Norte-americanos e alemão recebem Nobel de Medicina

O pesquisador alemão Thomas Sudhof e os norte-americanos James Rothman e Randy Schekman conquistaram o prêmio Nobel da Medicina de 2013 nesta segunda-feira pelas suas descobertas sobre como os hormônios, enzimas e outras substancias importantes são transportadas para dentro das células.

AE, Agência Estado

07 de outubro de 2013 | 10h29

Este sistema de controle de fluxo evita que as atividades dentro das células entrem em caos e as descobertas dos cientistas ajudaram a aprofundar o entendimento de uma série de doenças, incluindo diabetes e problemas que afetam o sistema imunológico, disse o comitê do prêmio.

Trabalhando entre os anos 1970 e 1990, os três pesquisadores fizeram descobertas revolucionárias sobre como pequenas bolhas chamadas vesículas agem como transportadores de carga dentro das células. Primordialmente, o trabalho dos grupo ajudou a explicar "como esta carga é entregue nos lugares certos na hora certa", disse o comitê.

"Imagine centenas de milhares de pessoas que estão viajando em centenas de milhas de ruas; como eles vão encontrar o caminho certo? Onde o ônibus parará e abrirá suas portas para que as pessoas possam sair?", disse o secretário do comitê do Nobel, Goran Hansson. "Há problemas semelhantes nas células."

As descobertas ajudaram médicos diagnosticarem graves formas de epilepsia e doenças de deficiência imunológica em crianças, disse Hansson. No futuro, os cientistas esperam que a pesquisa possa levar a remédios contra os tipos mais comuns de epilepsia, diabetes e outras deficiências de metabolismo, acrescentou.

Rothman, de 62 anos, é um professor da Universidade de Yale enquanto Schekman, de 64 anos, trabalha para a Universidade da Califórnia, em Berkeley. Já Sudhof, de 57 anos, se uniu à Universidade de Stanford em 2008. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
suécianobelmedicina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.