Norte-americanos participam de ataque no Quênia

Dois ou três homens dos Estados Unidos e uma mulher do Reino Unido fazem parte do grupo que invadiu e realizou um atentado em um shopping de Nairóbi, no Quênia, neste sábado, informou o principal diplomata do Quênia. O ataque deixou pelo menos 60 pessoas mortas e mais de 200 feridas.

AE, Agência Estado

24 Setembro 2013 | 04h48

Em entrevista à PBS, a ministra das Relações Exteriores do Quênia, Amina Mohamed, foi questionada sobre relatos de que norte-americanos e britânicos estavam entre os culpados pelo massacre.

"Sim. Pelas informações que temos, houve o envolvimento de dois ou três norte-americanos e acho que até agora ouvi falar de uma britânica", explicou Mohamed, acrescentando que a britânica já teria realizado outros atentados. "Pelo que sabemos, os norte-americanos são homens jovens, entre 18 e 19 anos, teriam origem somali e árabe, mas vivem nos Estados Unidos", completou, sinalizando a natureza global do atentado.

O grupo radical somali Al-Shabab, ligado a al Qaeda, assumiu a responsabilidade pelo atentado contra o Westgate Mall.

"Estamos todos chocados", declarou Mohamed durante um evento da Organização das Nações Unidas (ONU) em Nova York. "E o que esse ataque nos diz? Mostra que os governos devem melhorar. Se eles podem cooperar a esse nível, os governos ao redor do mundo devem cooperar ainda mais apenas para se certificar de que ficará à frente da curva. Acho que acabamos de ver quanto dano eles podem fazer", concluiu Mohamed. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
quêniaatentadoresgateatualiza1

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.