Norte-americanos têm visão favorável do Brasil, segundo Gallup

A crise de energia, as constantes denúncias de corrupção e o crescimento econômico aquém do desejado podem não ajudar a auto-estima dos brasileiros, que anda baixa. Mas, nos Estados Unidos, a imagem do País tem melhorado, apesar dos estereótipos sobre a destruição da Amazônia, os assassinatos dos meninos de rua e as notícias sobre as rebeliões nas prisões. O Brasil ficou em oitavo lugar numa pesquisa Gallup sobre a percepção que o público norte-americano tem de 26 países. A pesquisa indicou que 69% dos norte-americanos têm uma imagem favorável do Brasil (13% muito favorável e 56% favorável pela maior parte), contra 17% que têm uma visão negativa. Os números para igual pesquisa, realizada em fevereiro do ano passado, foram de 59% e 17%, respectivamente. O Brasil é a nação que tem a melhor imagem junto aos norte-americanos depois das potências mais ricas e da Austrália. Aparece à frente de México, Egito e Israel, países com os quais os Estados Unidos têm relações mais intensas. A sondagem Gallup, realizada anualmente, não indica as razões das opiniões dadas pelos entrevistados. Uma pesquisa dirigida que o Itamaraty encomendou no ano passado National Opinion Research Center revelou resultados mais complexos. Entre o grande público, o estudo indicou que a imagem do Brasil nos EUA não é nem boa nem ruim. É inexistente. Os formadores de opinião e tomadores de decisões nos setores público e privado mostraram-se mais bem informados e manifestaram opiniões geralmente positivas sobre o País. A imagem do Brasil nos Estados Unidos será o tema de uma conferência de uma dia que o Brazil Information Center e o programa brasileiro do Woodrow Wilson Center realizarão em Washington, na sexta-feira que vem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.