Norte-coreano é executado por fracasso político

A Coreia do Norte executou um ex-funcionário de gabinete encarregado das negociações com a Coreia do Sul em mais uma sentença de morte de uma autoridade por seu suposto fracasso político. Kwon Ho-ung, chefe da delegação de Pyongyang nas negociações de alto nível com o então governo liberal da Coreia do Sul, entre 2004 e 2007, foi executado por um pelotão de fuzilamento. A informação foi divulgada pelo jornal popular Dong-a-Ilbo, de Seul, citando uma fonte, não identificada, em Pequim.

AE, Agência Estado

22 de julho de 2010 | 07h33

A porta-voz do Ministério da Unificação da Coreia do Sul, Lee Jong-joo, não confirmou a notícia, mas acrescentou que o serviço de inteligência sul-coreano estava checando a informação sobre a execução de Kwon. As duas Coreias mantiveram negociações de alto nível em diversas ocasiões com o objetivo de melhorar suas relações e reduzir as tensões na que é a mais fortificada fronteira do mundo. A última rodada de conversações entre as duas partes ocorreu em 2007.

O funcionário executado foi chefe de gabinete do governo norte-coreano, mas não ficou claro se a política por ele adotada levou à sua execução. Também não foi confirmado quando e onde Kwon foi morto, mas sua execução segue a outras de autoridades norte-coreanas por falhas políticas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
Coreia do norteexecuçãojornal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.