Norte-coreanos podem encerrar programa nuclear neste ano

EUA afirmam que instalações nucleares podem ser fechadas até dezembro

Agencia Estado

18 Junho 2007 | 14h25

O negociador americano para a suspensão do programa nuclear da Coréia do Norte, Christopher Hill, disse nesta segunda-feira, 18, em Pequim, que acredita que grande parte das instalações nucleares norte-coreanas será desligada até o fim deste ano."O desmantelamento, tecnicamente falando, não durará muito, pois há certos detalhes técnicos que podem ser resolvidos em dias. Podemos conseguir tudo neste ano", disse o negociador americano em entrevista coletiva, pouco antes de ir a Seul para continuar com as negociações.O otimismo de Hill, após meses de bloqueio no processo do desligamento dos reatores, é visto um dia depois de Pyongyang convidar os inspetores da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) a voltar à Coréia do Norte para verificar o fechamento do reator de Yongbyon, primeiro passo na desnuclearização.Nesta segunda-feira, a AIEA confirmou o pedido norte-coreano e aprovou a viagem de seus inspetores a Pyongyang na próxima semana para negociar formas de verificar o desligamento do reator nuclear de Yongbyon. Por meio de um comunicado, a AIEA informou que a equipe visitará a capital norte-coreana na semana a ser iniciada em 25 de junho e será chefiada por Olli Heinonen, vice-diretor-geral da entidade. NegociaçõesNo entanto, Hill ressaltou que continua sendo necessária "muita vontade política" para que continue o processo, questões técnicas à parte.O negociador se reuniu nesta segunda com seu o vice-ministro de Assuntos Exteriores chinês, Wu Dawei, e esta semana fará o mesmo com os chefes das delegações do Japão, Rússia e Coréia do Sul, em busca de novas datas para retomar as conversas nucleares multilaterais.Segundo Hill, o reinício e o começo do desmantelamento das instalações de Yongbyon podem ser questão "de semanas, não de dias, mas também não de meses".O desbloqueio do processo ocorreu graças à mediação da Rússia, que se ofereceu para canalizar parte do dinheiro bloqueado em contas norte-coreanas no Banco Delta Asia de Macau. Pyongyang pedia que esse dinheiro fosse devolvido antes de voltar a negociar e prosseguir a suspensão do programa nuclear. Hill reconheceu que o problema bancário "durou muito mais do que se podia imaginar"."Aprendemos muito sobre o funcionamento dos bancos neste tempo", brincou o diplomata americano.EspeculaçõesA Coréia do Norte poderia desligar e selar o reator nuclear de Yongbyon na segunda metade de julho, afirmou em Pequim, uma fonte diplomática norte-coreana citada pela agência russa Interfax."Segundo nossos especialistas, para parar o reator tecnicamente é necessário quase um mês, de modo que calculamos selá-lo, conforme os acordos alcançados na conversas multilaterais, na segunda metade de julho de 2007", acrescentou a fonte.O diplomata norte-coreano disse que a sexta rodada de negociações multilaterais em Pequim deve ser retomada quando o reator de Yongbyon for desligado. "O desligamento do reator significará o cumprimento pela República Democrática Popular da Coréia de todos seus compromissos para a fase inicial da desnuclearização da península", acrescentou.Em fevereiro, negociações multilaterais em torno do programa nuclear norte-coreano foram concluídas com a promessa de que Pyongyang suspenderia seu programa nuclear bélico em troca de ajuda energética e da liberação de cerca de US$ 25 milhões congelados num banco em Macau. O dinheiro começou a ser liberado na semana passada.Matéria ampliada às 09h34 para acréscimo de informações

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.