Norte-coreanos são detidos por tramar morte de desertor

Apresentando-se como refugiados, dois espiões norte-coreanos entraram na Coreia do Sul com a missão de assassinar Hwang Jang-yop, o mais alto desertor do regime e que foi mentor de Kim Jong Il, disseram as autoridades hoje. Hwang, arquiteto-chefe da ideologia oficial "juche", era uma das mais poderosas autoridades do país quando fugiu do país 13 anos atrás, numa deserção que irritou Kim Jong Il. Nesta semana, dois majores do Exército norte-coreano foram detidos sob suspeita de planejarem a morte de Hwang, de 87 anos, informou o Escritório da Promotoria Distrital Central de Seul hoje.

AE-AP, Agência Estado

21 de abril de 2010 | 12h56

Os dois, ambos de 36 anos, confessaram aos investigadores que receberam ordens para relatar as atividades de Hwang e se preparar para "cortar a garganta do traidor", revelou um promotor, que falou em condição de anonimato. As prisões ocorrem num momento em que as tensões entre os dois países crescem por causa do afundamento de um navio de guerra sul-coreano que explodiu misteriosamente no mês passado na fronteira como a Coreia do Norte. Há especulações de que Pyongyang esteja por trás da explosão.

Tudo o que sabemos sobre:
Coreiasespionagem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.