Noruega se prepara para casamento real

Príncipes e princesas de toda a Europa participaram hoje de um banquete em homenagem ao futuro rei da Noruega e sua noiva, que se casarão amanhã na Catedral de Oslo. O casamento entre o príncipe herdeiro Haakan e a plebéia Mette-Marit Tjessem Hoiby será o primeiro da família real norueguesa em 33 anos. A união, no entanto, dividiu as opiniões no país, principalmente por causa do passado "rebelde" da futura rainha, e vem causando debates até mesmo no Parlamento.Ontem, depois de vários meses de especulação por parte da imprensa, Mette-Mariet convocou os jornalistas para admitir que seu passado fora recheado com festas de embalo e drogas. No final da entrevista, no entanto, ela afirmou, com lágrimas nos olhos, estar arrependida do que fez. O príncipe Haakan e Hoiby, ambos com 28 anos, e o pequeno filho dela, Marcus, fruto de uma gravidez solitária, já estão vivendo sob o mesmo teto há 15 meses.Desde o anúncio do casamento, a popularidade da família real norueguesa - formada pelo rei Harald V, rainha Sonja e seus dois filhos, Haakon e a princesa Martha - vem caindo, na mesma proporção em que vem aumentando o apoio ao movimento republicano. Duas pessoas vivendo juntas em uma união não sacramentada, e o fato de Mette-Mariet ser mãe solteira, são situações que não chegam a assustar os habitantes da Noruega, país onde mais de 50% das crianças nascidas são criadas apenas pela mãe.O que assusta os noruegueses é exatamente o passado "rebelde" de Mette-Mariet. O contato com as drogas e o fato de Marcus ser filho de um pai que já fora sentenciado por posse de cocaína e cumpriu pena de prisão tiraram o sossego do país. Mas nada que um arrependimento não resolva. Depois da mea culpa de Mete-Marit, as pesquisas mostraram que sua popularidade pessoal aumentou entre a população.Mais preocupante para a casa real, porém, é o aumento no sentimento republicano: de estáticos 10% para quase 25% nos últimos seis meses, além de uma queda considerável no apoio à monarquia, para 62%, que já teve uma aceitação superior a 80% na década de 90. De acordo com a mídia local, apesar das dúvidas com relação ao futuro da realeza, cerca de 120.000 pessoas deverão comparecer às ruas de Oslo para acompanhar a passagem do cortejo do casal real. Além disso, as redes de televisão acreditam que a cerimônia de casamento deverá bater todos os recordes de audiência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.