Noruega suspende mediação de paz no Sri Lanka

A Noruega retirou-se dos esforços para a retomada das negociações de paz entre o governo do Sri Lanka e os rebeldes do Exército de Libertação dos Tigres do Tâmil Eelam (LTTE) e só voltará a mediar o conflito depois que a presidente e o primeiro-ministro solucionarem sua disputa política, informou nesta sexta-feira em Colombo o vice-chanceler norueguês Vidar Helgesen. "Vamos voltar para casa e esperar", declarou Helgesen em entrevista à The Associated Press. "Será impossível negociar devido à atual situação política. Entretanto, a presidente do Sri Lanka, Chandrika Kumaratunga, disse que gostaria de ver o processo de paz seguir adiante sem interrupção, apesar da disputa de poder na qual está envolvida com o primeiro-ministro Ranil Wickremesinghe. "A presidente reiterou que o acordo de cessar-fogo continua em vigor e as negociações entre o governo e o LTTE devem continuar" informou o gabinete de Kumaratunga por meio de um comunicado. A Noruega é a principal mediadora do processo de paz no Sri Lanka. Em fevereiro de 2002, representantes noruegueses conquistaram uma trégua entre o governo e o LTTE e pretendiam promover seis rodadas de negociações de paz. Entretanto, as negociações estagnaram em abril, quando os rebeldes retiraram-se das conversações exigindo mais autonomia. Nesta sexta-feira, a presidente ordenou ao Exército que dê todo o apoio à Missão de Supervisão da Trégua no Sri Lanka, diz o comunicado do gabinete de Kumaratunga. Mediadores noruegueses retornaram esta semana ao Sri Lanka. Eles tinham a esperança de preparar o terreno para a realização de novas negociações para encerrar definitivamente um conflito que já causou a morte de mais de 65.000 pessoas em aproximadamente duas décadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.