Noruega tenta retornar à normalidade após ataques

Ministros retomarão atividades em local afetado por explosão; lojas próximas do local reabrem

estadão.com.br

26 de julho de 2011 | 21h37

Norueguês presta homenagem a vítimas do duplo atentado

 

OSLO - Cinco dias após o atentado duplo que chocou a Noruega, as autoridades do país tentarão fazer retornar a normalidade com atos simbólicos na quarta-feira, 27. Ministros e outros funcionários públicos comparecerão pela primeira vez a seus escritórios no centro de Oslo, no complexo de edifícios que foi alvo de uma explosão armada por um ativista de extrema-direita na sexta-feira.

 

Veja também:

linkFuncionários do governo continuam desaparecidos

linkPai de atirador se diz envergonhado

linkAtirador pode ser acusado por crimes contra humanidade

linkInício do conteúdo"Não devemos ceder à paranoia'', diz educador

linkExtremista aponta 'malefícios' da miscigenação no Brasil

linkAtirador estava na lista de serviço secreto

mais imagens GALERIA: A 'Marcha das Rosas' de Oslo

blog ARQUIVO: Relembre ataques na Europa

 

Rigmor Aasrud, Ministro de Assuntos Administrativos e da Igreja, será o primeiro membro do gabinete a retornar ao seu local normal de trabalho, parcialmente destruído pela explosão, que atingiu também o escritório do primeiro-ministro, Jens Stoltenberg. O premiê, por sua vez, retomará suas atividades no Ministério da Defesa, localizado em outra região.

 

Além da explosão, que deixou ao menos oito mortos, o autor confesso do atentado, Anders Behring Breivik, matou outras 68 pessoas a tiros no acampamento anual da juventude do Partido Trabalhista na ilha de Utoya. O número total de mortos, agora em 76, ainda pode aumentar, disseram as autoridades, que busca, por outros corpos. O extremista está preso e disse que queria combater a disseminação do islamismo e do marxismo no país.

 

Após ser preso, Breivik disse que atuava com mais duas células extremistas com braços na Noruega e em outros países, mas a polícia acredita que ele agiu sozinho. O advogado do autor dos ataques sugeriu que ele poderia alegar insanidade em seu julgamento, mas não deu detalhes se isso pode de fato ocorrer. Breivik disse ter cometido ações "atrozes, mas necessárias", e nega ser um criminoso.

 

A polícia reabriu algumas ruas em torno do local da explosão em Oslo. Os arredores do complexo de edifícios atingido está repleto de flores deixadas pelo noruegueses que quiseram homenagear as vítimas dos atentados. Os estabelecimentos comerciais da área também estão reabrindo gradativamente.

 

As autoridades começaram a divulgar a lista dos nomes das vítimas do duplo atentado de sexta. As identidades estão sendo divulgadas após as famílias terem sido comunicadas. Ainda há desaparecidos, inclusive funcionários do governo norueguês.

 

Com Reuters e BBC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.