Noruegueses homenageiam vítimas de atentados

Cerca de 150 mil pessoas marcharam em silêncio em Oslo; ao menos 76 morreram nos ataques

Efe

25 de julho de 2011 | 16h13

Flores também foram reunidas na catedral de Oslo

 

OSLO - Dezenas de milhares de pessoas se reuniram na tarde desta segunda-feira, 25, em várias cidades da Noruega para homenagear as 76 vítimas do atentado duplo ocorrido na última sexta-feira contra um edifício do governo em Oslo e contra o acampamento do Partido Trabalhista na ilha de Utoya.

 

Veja também:

mais imagens GALERIA: A Marcha das Rosas

blog TOLEDO: Por que a Noruega?

link OPINIÃO: Terror em Oslo
video VÍDEO: Os danos após a explosão em Oslo 
lista Relembre ataques terroristas na Europa

 

Em marcha silenciosa, cerca de 150 mil cidadãos levaram flores e velas pelo centro da capital norueguesa até a prefeitura, onde o príncipe herdeiro Haakon e o primeiro-ministro, Jens Stoltenberg, enviaram mensagens de solidariedade às vítimas e às suas famílias.

 

O príncipe destacou que as ruas estavam "repletas de amor" e disse que embora ninguém vá recuar após os atentados do último dia 22, os noruegueses podem "decidir o que as mortes farão com o povo". "Decidimos responder ao ódio com unidade. Escolhemos nos mobilizar em prol dos nossos valores. A Noruega está de luto. Lembramos de todos que sofreram perdas e a todos que agiram como heróis", afirmou Haakon.

 

Stoltenberg, por sua vez, pediu aos cidadãos que mantenham seu caráter tolerante e não permitam que "o mal se apodere de todo o povo". A resposta aos atentados deve ser "mais abertura, mais democracia", acrescentou.

 

A marcha partiu da região do tribunal onde compareceu pela primeira vez o autor confesso dos ataques, Anders Behring Breivik, perto de onde ocorreu a explosão em um edifício do governo que deixou oito mortos. O segundo incidente ocorreu na ilha de Utoya, onde era realizado o encontro anual da juventude do Partido Trabalhista. O suspeito entrou no local vestido de policial e abriu fogo, matando mais 68 pessoas.

 

Leia mais:

linkVítimas postaram no Twitter antes de polícia ser avisada, diz ex-ministra

linkExtremista cristão planejou por 18 meses ataques terroristas na Noruega

linkReis e súditos choram a tragédia norueguesa

linkAtirador admite que tinha cúmplices

Tudo o que sabemos sobre:
NoruegaOsloUtoyaataqueEuropa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.