David McNew/Getty Images/AFP
David McNew/Getty Images/AFP

Nos EUA, Estados estão desesperados em busca de ajuda para combater incêndios recordes

Com milhões de hectares em chamas na Costa Oeste americana, Estados estão tendo dificuldade em encontrar bombeiros disponíveis; Califórnia decidiu convocar uma equipe de Israel

Jack Healy, Mike Baker e Tim Arango / The New York Times, O Estado de S.Paulo

11 de setembro de 2020 | 10h00

OREGON - Quando os incêndios florestais começaram a consumir comunidades em todo o Oregon nesta semana, os líderes do escritório estadual de gerenciamento de emergência enviaram um e-mail para seus colegas de todo o país implorando por 10 equipes de combate a incêndios que poderiam trazer equipamentos extras para a região.

O Estado teve uma resposta: Utah enviaria uma equipe com cinco motores. Enfrentando um ano histórico de destruição por incêndios florestais em toda a Costa Oeste, incluindo mais de um milhão de hectares na Califórnia, os sistemas nacionais de emergência que dependem da assistência de Estado para Estado estão cedendo sob a pressão. 

Isso deixou as equipes de emergência lutando para combater incêndios que destruíram cidades inteiras e causaram pelo menos 15 mortes, com mais sete mortos na quinta em um incêndio ao norte de Sacramento.

Não sei se há qualquer incêndio em que possamos dizer que temos recursos suficientes para fazer o que precisamos fazer”, disse Andrew Phelps, diretor do Escritório de Gerenciamento de Emergências de Oregon.

Os incêndios continuaram a ocorrer no sul do Oregon, onde centenas de casas foram destruídas, bem como a leste de Salem, onde dois corpos foram encontrados, e ao longo da costa do Estado. Mais de 360 mil hectares foram queimados, quase o dobro de uma temporada típica.

Centenas de milhares de pessoas foram obrigadas a abandonar suas casas, incluindo em partes dos subúrbios de Portland, onde os incêndios ainda estavam acontecendo. Em Washington, centenas de casas e outras estruturas correm risco com incêndios florestais que continuam a arder.

Na Califórnia, os bombeiros continuaram a combater as chamas de uma temporada notável de incêndios florestais, incluindo a queima do Complexo de Agosto na Floresta Nacional de Mendocino, que agora é o maior incêndio na história registrada do Estado.

Tantos pedidos de ajuda estatal foram encaminhados ao Grupo Nacional de Coordenação de Multiagências, que ajuda a direcionar os recursos para combater incêndios florestais, que torna-se difícil decidir quais teriam prioridade. 

Dan Smith, membro do grupo que também é diretor de bombeiros da Associação Nacional de Florestais Estaduais, disse que na manhã de quinta-feira havia mais de 300 pedidos de apoio que não puderam ser atendidos.

Smith afirmou que as equipes em todo o país tinham cerca de 26 mil pessoas trabalhando em grandes incêndios, junto com outros que estavam trabalhando em incêndios menores ou posicionados para responder rapidamente contra novos fogos.

Pressão

Ele informou que os bombeiros têm passado por uma tensão tremenda. No mês passado, quando milhares de relâmpagos desencadearam alguns dos primeiros incêndios florestais no norte da Califórnia, os bombeiros de Oregon e Washington correram para ajudar. Mas, à medida que os incêndios começaram a se espalhar em seus próprios Estados, eles recuaram e deixaram a Califórnia para se voltar para outros Estados e até mesmo outros países.

“Superamos o que já havíamos experimentado em qualquer outra temporada e estamos apenas no início de setembro”, disse Brian Ferguson, porta-voz do Escritório de Serviços de Emergência da Califórnia.

O governador da Califórnia, Gavin Newsom, fez pedidos pessoais de ajuda em todo o país. Ele falou com o primeiro-ministro canadense sobre mais ajuda, e Israel recentemente enviou 10 bombeiros para a Califórnia. 

Como as temperaturas caíram em Utah e Colorado, esses Estados enviaram bombeiros para a Califórnia, essencialmente substituindo os de Oregon e Washington. Os carros de bombeiros de Idaho, Novo México e Texas estão na Califórnia, com mais a caminho.

A Califórnia tem mais de 14 mil bombeiros destacados para mais de duas dezenas de incêndios florestais, com alguns deles movendo-se de um incêndio para outro. O condado de Santa Bárbara, por exemplo, tinha várias equipes de bombeiros destacadas para o norte da Califórnia, depois para o condado de Los Angeles, no sul, e depois novamente para o norte.

“Eles ficaram fora por três semanas para combater após incêndio após incêndio”, disse Mike Eliason, oficial de informação pública do Corpo de Bombeiros do Condado de Santa Bárbara. 

Com a escala das recentes temporadas de incêndios florestais, ele disse: “está ficando triste que todos os anos tenhamos essa conversa. Dizemos que este é o maior ano e, no ano seguinte, dizemos que este é o maior ano". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.