AFP
AFP

Nos primeiros 4 meses de 2016, Cuba recebeu 94 mil cidadãos americanos

Flexibilização do embargo permitiu um aumento recorde de 93% com relação ao mesmo período de 2015, quando foram recebidos 161.233 cidadãos dos EUA

O Estado de S. Paulo

05 Maio 2016 | 10h27

HAVANA - Cuba recebeu 94 mil cidadãos americanos nos primeiros quatro meses de 2016, apresentando um crescimento recorde de 93% com relação ao mesmo período de 2015 e que foi possível graças à flexibilização do embargo por parte do presidente Barack Obama.

Em 2015, "foram recebidos 161.233 americanos em Cuba, um aumento de 76% em comparação com 2014 e este ano já recebemos 94 mil americanos, o que significa um crescimento de 93%", disse o ministro cubano do Turismo, Manuel Marrero.

O funcionário inaugurou na quarta-feira, em Havana, a Feira Internacional de Turismo na presença de mais de 200 representantes do setor de 53 países, incluindo 200 empresários dos EUA.

Os americanos que viajam à ilha o fazem na qualidade de visitantes, pois em razão do embargo vigente desde 1962, eles ainda não estão autorizados a fazer turismo livremente. Mesmo assim, o governo Obama flexibilizou algumas restrições, o que propiciou um aumento recorde no número de viagens.

"Apesar de as medidas que vêm sendo adotadas são serem insuficientes, elas contribuem para que se continue a tendência de um aumento das viagens", afirmou Marrero.

Cuba e EUA restabeleceram relações diplomáticas em 20 de julho de 2015, após meio século de ruptura e antagonismo. Em setembro, Obama ampliou para doze as categorias de viajantes a Cuba. Em março, durante sua visita histórica a Havana, o presidente suprimiu a exigência que impedia viagens individuais de americanos.

"Além disso, em 2015 chegaram 390 mil cidadãos cubanos residentes no país e este ano 116 mil cubanos já foram visitar sua pátria", acrescentou o funcionário.

Obama destacou que o acordo de restabelecimento de voos regulares entre os dois países, que deve entrar em vigor depois de agosto, "vai contribuir de forma importante" para o crescimento das viagens a partir dos EUA. Segundo o acordo, estão previstos 110 voos diários, sendo 20 deles com destino a Havana.

Também impulsionará o crescimento "a chegada de cruzeiros, entre eles a companhia americana Carnival que, pela primeira vez depois de mais de 50 anos, atracou no porto de Havana na segunda-feira".

Em 2015, Cuba recebeu 3,5 milhões de turistas, 17% a mais que em 2014 e espera acolher 3,85 milhões este ano. Os ganhos da ilha com o turismo foram de US$ 2,8 bilhões de dólares, 10,7% a mais que em 2014. O aumento está de acordo com a tendência mundial. /Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.