Nos últimos 3 dias, 2 brasileiros são mortos no Líbano

O menino Basel Termos, de sete anos, morreu na manhã desta terça-feira vítima de um bombardeio israelense na localidade de Tallousa, no sul do Líbano. A mãe e um irmão de 4 anos do garoto ficaram feridos na ação, e estão internados em um hospital local. No domingo, um comerciante brasileiro de 34 anos também foi vítima de ataques israelenses. Com as duas mortes, já são seis os brasileiros mortos desde o início da ofensiva israelense contra militantes do Hezbollah em território libanês.Basel acompanhava os familiares em uma visita à avó e outros parentes no Líbano. Segundo Daniel Termos, um primo do garoto contatado por telefone pelo portal Estadão.com.br em Foz do Iguaçu, a família tomava café da manhã quando o ataque ocorreu. Uma senhora de 78 anos e um garoto de cerca de 12, ambos parentes de Basel, também morreram.Daniel conta que a família vinha acompanhando a situação no Líbano pela TV libanesa, cujo sinal recebem via satélite. Na manhã desta terça-feira, eles ficaram sabendo do bombardeio à localidade de Tallousa, e em seguida receberam a notícia da morte de Basel."Estamos de luto. A família está triste, inconformada", disse Daniel, em meio a pausas emocionadas. ComercianteNo domingo, outro cidadão brasileiro também foi vítima dos bombardeios israelenses. A notícia, no entanto, só chegou à família nesta terça-feira.Rodrigo Aiman, de 34 anos, pai de dois adolescentes, morador e lojista do Brás, em São Paulo, foi morto junto com outras 30 pessoas na cidade de Tiro, no sul, na tarde de domingo. Segundo familiares, o corpo permanecerá no Líbano. A família cogita esperar uma calmaria na região para ir ao país."Ele era um homem muito trabalhador, querido e responsável. A família não tem outro sentimento senão indignação", disse um familiar de Aiman.Com as mortes de domingo e terça-feira, já são seis os brasileiros mortos no Líbano desde o início da ofensiva israelense na última quarta-feira. Na semana passada, uma família de 4 pessoas foi vítima dos ataques.De acordo com estimativas do consulado do Brasil em Beirute, 70 mil cidadãos brasileiros vivem no Líbano, formando a maior comunidade estrangeira do país. Também nesta terça-feira, um avião da Força Aérea Brasileira chegou ao País trazendo 98 pessoas - cinco argentinos, oito libaneses naturalizados brasileiros e 85 brasileiros natos - que deixaram o Líbano fugindo do conflito.Ministério das Relações ExterioresO ministério das Relações Exteriores (MRE), publicou uma nota em seu site nesta terça-feira lamentando a morte de Basil. No comunicado, o Itamaraty informa que governo brasileiro recebeu a notícia com "grave consternação", e ampliou as críticas à ofensiva israelense. "O Brasil reitera sua condenação à represália militar desproporcional do Governo de Israel, que tem levado à perda de vidas inocentes e a pesados danos na infra-estrutura libanesa, com conseqüências de longo prazo para a população civil", diz a nota.Ainda segundo o comunicado, o MRE informa que o governo brasileiro apóia as iniciativas diplomáticas, em especial a Missão de Alto Nível enviada pelo Secretário-Geral das Nações Unidas, para que um cessar-fogo imediato seja obtido na região.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.