, O Estadao de S.Paulo

18 de março de 2010 | 00h00

Polícia procura integrante da ETA que teria assassinado agente de segurança francês

A polícia da França está procurando um suposto integrante do comando do grupo separatista basco ETA que na noite de terça-feira matou um policial no sudeste de Paris. O suspeito, cuja identidade não foi revelada, estava em um veículo roubado de uma concessionária de automóveis. O assassinato ocorreu quando o agente de segurança abordou as quatro pessoas que ocupavam o veículo.

O primeiro-ministro espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, e o presidente francês, Nicolas Sarkozy, conversaram ontem por telefone e concordaram em redobrar os esforços contra a ETA depois da morte do policial.

UGANDA

Protestos por incêndio em mausoléu matam 2

Pelo menos duas pessoas morreram e cinco ficaram feridas ontem perto de Kampala, no sul de Uganda, em protestos contra o incêndio que destruiu na terça-feira o mausoléu de reis tradicionais do país (foto). As duas pessoas, que morreram baleadas, estavam em um protesto que tentava impedir o acesso do presidente ugandense, Yoweri Museveni, ao local.

URUGUAI

Mujica quer libertar idosos condenados por ditadura

O presidente do Uruguai, José "Pepe" Mujica, defendeu ontem que os militares com mais de 70 anos condenador por crimes cometidos na ditadura sejam libertados antecipadamente ou cumpram prisão domiciliar. O líder uruguaio anunciou que enviará um projeto de lei ao Congresso Nacional para implementar essas mudanças.

TAILÂNDIA

Opositores voltam a jogar sangue na rua

Partidários do ex-premiê tailandês Thaksin Shinawatra voltaram a derramar simbolicamente litros de sangue diante da residência do atual primeiro-ministro, Abhisit Vejjajiva, no poder desde 2008. O protesto faz parte de uma onda de manifestações que tem como objetivo derrubar o atual governo (foto). Na terça-feira, os opositores se mobilizaram para coletar 300 litros de sangue para provar a "devoção à democracia", e esvaziaram as últimas delas ontem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.