Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Notas
, O Estadao de S.Paulo

26 de março de 2010 | 00h00

Bin Laden ameaça vingar morte de líder

Em uma nova mensagem de áudio na internet, o líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden (foto), afirmou que, caso os EUA condenem à morte Khalid Sheik Mohamed (suposto mentor do 11 de Setembro, atualmente preso em Guantánamo), militantes sequestrarão e assassinarão cidadãos americanos. Segundo Bin Laden, o presidente Barack Obama "está seguindo os passos" de George W. Bush.

PAQUISTÃO

Bombardeio deixa 61 mortos

O governo paquistanês disse ter matado ontem pelo menos 61 militantes extremistas num reduto Taleban da região tribal de Mamuzai, na fronteira com o Afeganistão. Entre os alvos do bombardeio aéreo estavam uma escola e uma mesquita, considerados pelas forças paquistanesas como um local de reunião dos rebeldes. Ontem, o governo dos Estados Unidos prometeu acelerar no Congresso a adoção de medidas que permitem a entrada de produtos paquistaneses no mercado americano.

ISRAEL

Bibi diz que fará gestos aos palestinos

O premiê israelense, Binyamin "Bibi" Netanyahu, disse ontem que planeja convocar seu gabinete de governo para anunciar medidas de aproximação com os palestinos, que facilitem o avanço do processo de paz. O anúncio foi feito depois de Bibi retornar de uma viagem aos EUA, onde defendeu a controvertida construção de novas casas de israelenses em Jerusalém Oriental. Os palestinos responderam dizendo que não receberam nenhum retorno positivo da Casa Branca sobre o encontro do presidente americano, Barack Obama, com Bibi, na terça-feira.

ESPANHA

Garzón pode ir a julgamento

O Supremo Tribunal da Espanha decidiu ontem não arquivar um processo contra o juiz espanhol Baltasar Garzón (foto) por sua tentativa de investigar crimes cometidos durante a Guerra Civil Espanhola (1936-1939) e a ditadura de Francisco Franco (1939-1975). Ele teria excedido suas funções ao assumir o caso. Garzón ficou conhecido por processar o ex-ditador chileno, Augusto Pinochet.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.