, O Estado de S.Paulo

11 de julho de 2010 | 00h00

Navio com ajuda a Gaza deixa porto na Grécia

Um navio carregado com ajuda humanitária partiu ontem da Grécia prometendo furar o bloqueio naval que Israel impõe à Faixa de Gaza. A ação foi organizada por uma instituição de caridade liderada por Saif Kadafi, filho do ditador líbio Muamar Kadafi. Segundo a diplomacia grega, os 12 tripulantes teriam concordado em atracar no porto egípcio de El Arish. A informação, porém, foi desmentida pelo capitão do barco. Segundo ele o objetivo continua sendo chegar a Gaza.

LÍBANO

Embaixada do Brasil em Beirute lança site

A embaixada brasileira em Beirute lançou o seu site para divulgar as atividades da missão diplomática no país. Inicialmente em inglês, o site terá versões em português e árabe com informações sobre as atividades políticas e os trabalhos de cooperação técnica, cultural e social entre Brasil e Líbano. O endereço da página é www.brazilembassy.org.lb.

RÚSSIA

Espiões "trocados" com EUA chegam a Moscou

Os quatro espiões russos trocados por dez agentes americanos em Viena chegaram ontem a Moscou. Os espiões foram recebidos de forma discreta, sem manifestações patrióticas. As TVs mencionaram muito brevemente a sua chegada e eles não foram vistos em público. Especula-se que a discrição se deva aos esforços da Rússia para melhorar a relação com os EUA.

AFEGANISTÃO

Ataques matam seis soldados americanos

Seis soldados americanos e dezenas de civis morreram ontem em vários ataques no sul e leste do Afeganistão. As duas regiões têm assistido a uma escalada da violência - supostamente uma resposta do Taleban ao aumento das forças nacionais e internacionais. Em Kandahar, uma motocicleta-bomba explodiu em um centro comercial, danificando carros e lojas (foto).

COREIA DO NORTE

Pyongyang promete retomar diálogo nuclear

Satisfeita com o comunicado da ONU que não a condenou pelo ataque ao navio sul-coreano Cheonan, em março, a Coreia do Norte afirmou ontem que está disposta a retomar as negociações sobre seu programa nuclear. "Faremos esforços consistentes para a desnuclearização", disse o porta-voz da chancelaria do país, citado pela agência de notícias estatal KCNA.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.