Notícia de prisão põe em alerta Justiça argentina

A prisão do venezuelano Guido Antonini Wilson - protagonista do "escândalo da mala", caso que abala as relações entre Venezuela e Argentina - pelo FBI, em Miami, foi noticiada ontem pela imprensa argentina e depois desmentida pelas autoridades americanas. Segundo a primeira versão, o empresário venezuelano tinha sido localizado e impedido de sair do país pela Justiça dos EUA. O desmentido veio mais tarde. "Não o detivemos, não conhecemos seu paradeiro, não está em prisão domiciliar", disse a porta-voz local do FBI, Judy Orihuela.A notícia da prisão, no entanto, levou assessores da juíza federal argentina Marta Novatti a iniciar a tradução para o inglês do pedido de extradição de Antonini - que seria remetido à Chancelaria e à Embaixada dos EUA em dois dias.A Justiça argentina pretende trazer Antonini a Buenos Aires para esclarecer a origem dos US$ 790 mil com os quais ele tentou entrar na Argentina há quase um mês, depois de desembarcar de um jatinho alugado pela estatal petrolífera argentina, no qual viajavam políticos ligados ao governo de Néstor Kirchner.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.