Notícia de seqüestro foi fruto de confusão

O aparente seqüestro de um avião na noite desta quarta-feira em um vôo doméstico indiano foi na verdade um alarme falso causado por uma ligação telefônica anônima e por uma confusão dentro da aeronave, informou o governo indiano. Anteriormente, funcionários da aviação civil haviam dito que seqüestradores haviam capturado um Boeing 737 com 54 personas a bordo logo após decolar de Bombaim. Comandos de segurança nacional cercaram o aparelho nas primeiras horas da manhã de quinta-feira (horário local) no Aeroporto Internacional Indira Gandhi, em Nova Délhi, enquanto veículos de bombeiros e ambulâncias posicionavam-se na pista. Uma ligação anônima a um estação de controle de tráfego aéreo desencadeou a confusão, informou à imprensa o ministro de Aviação Civil da Índia, Shahnawaz Hussain. Ele acrescentou que o piloto, Ashwini Behl, foi informado pela torre sobre o telefonema e fechou a cabine de comando, pensando que os seqüestradores estivessem entre os passageiros. Por sua vez, os passageiros acreditavam que os seqüestradores estavam na cabine, disse Hussain. "Só quando os comandos entraram na cabine foi que o piloto percebeu que tudo não passava de um alarme falso", disse Hussain. O jato da companhia aérea Alliance decolou de Bombaim com destino a Nova Délhi quando o autor da ligação disse que a aeronave havia sido seqüestrada, acrescentou o ministro. Hussain disse que as autoridades indianas tentarão descobrir quem foi o autor do telefonema.

Agencia Estado,

03 Outubro 2001 | 22h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.