Nova capital?

BUENOS AIRES - Quase 30 anos após pensar em tirar a capital de Buenos Aires, a Argentina volta a discutir o tema. A ideia foi relançada pelo presidente da Câmara de Deputados, Julián Domínguez, homem de confiança de Cristina Kirchner no Parlamento.

Ariel Palacios, Correspondente - O Estado de S.Paulo

10 de janeiro de 2014 | 02h04

Domínguez, quarto na sucessão presidencial, quer remover a capital da região dos pampas, que para ele "não pode dar mais do que já dá". Desta forma, pretende desenvolver o empobrecido norte.

"Os países de grandes projetos não têm suas capitais em portos", disse Domínguez, em tom de crítica à Buenos Aires. O líder kirchnerista sustentou que a eventual transferência da capital para o norte "aproximaria" o país do Mercosul, da China, da Índia e dos países árabes.

A mudança prevê aproveitar uma cidade e instalar lá todo o funcionalismo público. O lugar cogitado é Santiago del Estero, onde o peronismo conta com um eleitorado fiel.

Ontem, o socialista Hermes Binner criticou a proposta. "Não é necessário levar a capital para outro lugar. É preciso levar o Estado a outros lugares." Nas redes sociais, houve sugestões irônicas de criar uma "capital cigana" para agradar a todas as províncias.

O plano lembra o projeto do então presidente Raúl Alfonsín (1983-89), que, inspirado em Brasília, queria mudar a capital para o sul da Argentina em 1986.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.